2013 - Auditoria chilena por Consejo para la Transparencia

O objetivo da auditoria descrita no relatório 'Fiscalización en Derecho de Acceso a la Información Pública a organismos públicos' do Consejo para la Transparencia (Conselho para a Transparência) foi criar um ranking das instituições avaliadas e também saber o nível de transparência no país. As notas foram baseadas em três módulos de avaliação: barreiras ao acesso, o processamento da aplicação e resolução do pedido. Os dados foram coletados entre junho a outubro de 2013.
Taxa de resposta: 
0.565574
País: 
Chile
Região: 
América Latina e Caribe
Número de pedidos: 
244
Tipo de Auditoria: 
Passiva
Autores: 
Consejo para la Transparencia
Ano em que a lei de transparência pública entrou em vigor: 
2009
Ano da auditoria: 
2013
Metodologia: 

244 pedidos foram divididos em duas partes para serem enviados por internet  e pessoalmente. O objetivo era criar o ranking das instituições bem avaliadas e também para obter um índice de transparência no país. As notas foram baseadas em três módulos de avaliação: barreiras ao acesso, o processamento da aplicação e resolução do pedido.

Condições experimentais: 

Metade dos pedidos foram enviados por correio e a outra metade por mecanismo virtual: conhecer as possíveis variações de resposta em decorrência do meio de envio.

Número de respostas: 
138
Meio de envio do pedido de acesso à informação: 
Página web
E-mail
Presencial
Pedidos negados (de forma oral ou escrita): 
2
Negações mudas: 
37
Number Of Agencies Audited (Passive): 
122
Tipo de autor: 
Organização pública
Auditoria criada pela FGV: 
No
Poder estatal ou tipo de entidade auditada: 
Níveis de governo auditados: 
Número de pedidos: 

Dois pedidos iguais foram enviados para cada orgão auditado, um envio via internet e um presencial. Dos 122 orgãos: 65 municipalidades, 21 serviços públicos, 11 hospitais de auto-gestão, 6 subsecretarias, 5 serviços de saúde, 3 universidades, 3 governos regionais, 3 interdências, 2 superintendências e 3 "SERVIU".